Assinatura RSS

Arquivo da tag: Glee

Sonhos

Publicado em

Semana passada sonhei que tava no colégio (faculdade, alguma coisa assim, super legal). Não lembro de detalhes. Só lembro que eu precisava aprender poker (ahahahaha). Gui todo preocupado porque oi, sou sonsa e não sei jogar nada além de pif-paf. (Inclusive, esse foi a primeira vez que tive sonho bonitinho com o Gui, geralmente quando sonho com ele a gente briga – no sonho –  e termina. Não é legal…)

Por fim achei alguém pra me ensinar a jogar. Sabe quem era meu professor?

Mr. Shue! ♥

Anúncios

Quem assiste, ama (1.1)

Publicado em

Complementando o último post (mas não queria ficar fazendo updates), vídeo do Kurt no Glee dessa semana. Ele canta essa mesma música, e não deixa por menos. A roupa (numa vibe Duas Caras do Batman) é porque o tema do episódio era Duetos, o dueto dele foi com ele mesmo (a Mônica entende =D).

A jogadinha de ombro aos 1:37 é ótima! No filme o Toddy ensinando A Victoria a dançar como travesti e fala que tem que balançar, movimentos abeertos. É MUITO BOM!

Séries Parte 1

Publicado em

Ficou gigaaaaante! Tive que dividir em duas partes.

Mas não tem como falar de séries sem listar t.o.d.a.s. que assisto/ já assisti. Começar então pelos que estou assistindo (ou vou assistir, quando essa bagaça de férias terminar).

Six Feet Under

Conta a história da família Fisher, que tem uma funerária em casa. Escroto, mas né, Alan Ball. No primeiro episódio o pai morre, a filha Claire estava drogada quando fica sabendo, o irmão mais velho Nate transava com uma mulher que tinha acabado de conhecer no voo e não sabia nem o nome dela e por ai vai. Mas resolvi assistir mesmo porque Alan Ball me grita. E Michael C. Hall Dexter de namoro com Mathew St. Patrick não é pouca coisa. =D

True Blood

Alan Ball, né. Não consigo me segurar. Vampiros aparecendo, já que não precisam mais chupar pessoas (sem trocadilhos) para viver, Bill/Sookie, Eric, Pam, Lafayette, Sam paspalho e personagens ótimos e lindos sem fim. Falei que é sobre vampiros? Então.

Grey’s Anatomy

Nunca chorei tanto na vida quanto quando assisto a maioria dos episódios de GA. Demorei a começar porque tenho birra de coisas que viram moda antes de eu descobrir. Entrava no site de séries da Globo.com e falavam taaaaanto do seriously e de todo o sexo que nhé. Até que cunhada encheu o saco pra eu baixar pra ela, e tava nessa mesma época do ano que não tem NADA pra ver (ainda não conhecia a maioria das que assisto agora, irmão tava me apresentando pro Dexter, primeira temp dele ainda…) e resolvi ver, já tava ali no pc mesmo, né. Olha, é lembrar de Breathe in breathe out ou The story (serião! coloca no 2:40 e tai a razão de muitos choros e dum baita suspiro.  “Sometimes we’ll be in the same place at exactly the same time, and I can almost hear her voice. It’s like I’m touching her.”) ou Breathe ou Off I go e um sem número de músicas e imagens – McDreamy tirando Meredith azul da água, Izzie de vestido rosa no elevador indo encontrar Danny/George com roupa do exército, o cara e a menina com a barra de ferro atravessada (gente, não ta escrito o tanto que chorei nesse dia, Guilherme ligou e eu tava soluçando!), Meredith gritando Post-it!, Meredith gritando John Doe is George!, “so pick ME, choose ME, love ME”, a casa de velas, Yang sem sobrancelhas, família do George gritando O’Malley!, todo mundo morrendo… – que já enche o olho d’água e tenho que segurar. Por isso que nunca vou deixar de assistir GA. Porque quando Shonda Rhimes quer que eu chore ela não tem dó.

Fringe

J.J. Abrams. Criador de Alias (que amava) e Lost (que nhé). É um Arquivo X mais legal (sem aquela coisa toda de ETs que sempre me impediram de assistir The X Files e Roswell), mistura de universo paralelo, loucura e Pacey Witter melhorado. Tentei viciar a Cecília, mas assistiu o primeiro e achou nojento. =/ Super acredito, viu!

Gossip Girl

Comecei porque li os livros e adorava, desisti no meio da primeira temporada porque peguei birra, só os nomes dos personagens estavam certos, demorei um ano pra acostumar que a Jenny não era artista nem peituda do cabelo enrolado, que o Nate não era drogado e preso depois de um tempo, que o Dan não era o magrelo depressivo viciado em cigarro e café, que o Eric não era mais velho que a Serena, que o Aaron nunca existiu, que Yale (não a faculdade, a bebê) nunca existiu e por ai vai. Continuo mais por curiosidade e pelo Chuck.

House

House é House. Sempre pego abuso no meio das temporadas mas vai melhorando conforme o fim vai se aproximando. Não paro porque amo. Sabia que Hugh Laurie fez o teste achando que o personagem principal era o Wilson? Só soube que estrelaria a série quando recebeu o roteiro do piloto.

The Mentalist

Aaaaaaaaaamo o Jane! Patrick Jane observa tudo e descobre tudo. Adora chá, ama a Lisbon. E todo mundo sabe que “Red John is mine. He belongs to me.” Me fez ver o smile com outros olhos.

Dexter

Serial killer que mata serial killers e trabalha na polícia. Dexter, Debra, Masuka e Lundy.

The Big Bang Theory

Quatro nerds tentando se enturmar com a vizinha gostosa e burra. Preciso falar mais?

Sheldon: Tenho que dizer, dormi esplendidamente. Não muito, mas profundamente e bem. Leonard: Não me surpreendo. Uma boa cura para insônia é invadir o apartamento vizinho e arrumar. Sheldon: Sarcasmo? Leonard: Você acha?

Glee

Série mais sem noção éva. Musical com losers.

How I Met Your Mother

Novo Friends. Começa com “Ted Mosby, arquiteto”, contando pros filhos como conheceu a mãe deles, e assim vai até hoje. Vale a pena mais pelo Barney. Qualquer episódio que assistir ele vai falar “awesome” ou “it’s gonna be legen — wait for it — dary!” AMO!

As músicas são pra Thaiza, que me enche o saco por conta de musicais mas todas as séries tem um númerozinho (e sempre é ótimo). ;)